Tags

, ,

Economista explica como China influencia economia brasileira
Matéria publicada nesta quarta-feira (6) pelo China Daily conta que de acordo com analista econômico o crescimento econômico melhor do que o esperado da China teve um impacto positivo na economia brasileira, especialmente no setor de produtos primários.José Luiz Oreiro, professor de economia da Universidade de Brasília, disse acreditar que o crescimento do PIB da China em 6.9 por cento no primeiro semestre de 2017 ajudou a retirar o Brasil de seu declínio econômico, informa o China Daily.

No primeiro trimestre, o único setor que viu o crescimento real no Brasil foi o agronegócio, com um aumento de 13% , disse Oreiro, acrescentando que o aço também tem preços razoáveis ??devido ao crescimento da China, de modo que o crescimento adicional da China tem sido uma boa notícia para a economia brasileira .

Quanto aos indicadores econômicos da China anunciados no mês passado, o economista disse: O resultado não me surpreende. Esperamos ver um crescimento mais moderado na China em relação aos anos anteriores (com crescimento de dois dígitos), de modo que o crescimento de 6-7 por cento por ano é uma nova tendência .

O crescimento econômico da China ajudou a sustentar os preços das exportações brasileiras de commodities, compensou as desacelerações em outros setores da maior economia da América Latina e também mostrou uma recuperação para a economia global, que vem lutando desde a crise financeira de 2008, disse Oreiro.

A economia global parece estar entrando na terceira marcha. As economias desenvolvidas estão vendo crescimento acelerado.

Como a segunda maior economia do mundo, o crescimento acelerado da China é importante para dar um maior impulso ao crescimento econômico global , afirmou o economista.

No entanto, o principal desafio para a China será reduzir sua enorme taxa de poupança para sustentar um novo modelo de crescimento que dependa mais do consumo doméstico.

A China terá que implementar políticas de segurança social, pensões pagas pelo estado, um sistema universal de saúde pública, etc., para reduzir a taxa de poupança e promover os gastos, uma vez que a classe média chinesa não precisa mais economizar para tratamento médico e, portanto, compre mais bens de consumo , disse ele.

É a transição que a China precisa completar, de modo que seu consumo representará uma maior participação do PIB. Nas últimas décadas, a economia chinesa tem sido impulsionada por investimentos e exportações. Agora, ela precisa dar um papel maior aos gastos , disse Oreiro. . A perspectiva da economia brasileira permanece muito ruim , embora um leve crescimento tenha sido registrado no primeiro trimestre de 2017, graças a uma safra de soja e grãos, disse Oreiro.

Ele acrescentou que o efeito não durará, e minha previsão para a economia brasileira de 2017 é zero por cento de crescimento .

Anúncios