17/02/2010 – 20:02

Aumento da poupança ajuda a valorizar cotação do câmbio

“Se no longo prazo o aumento da poupança aprecia o câmbio, isso não interessa de maneira nenhuma ao Brasil, que convive com o problema da valorização cambial.”

O comentário é do economista José Luis Oreiro, professor da Universidade de Brasília (UnB), ao rebater críticas de ultra-conservadores à sua entrevista publicada pelo MM na edição de Carnaval.

Oreiro confirmou sua opinião, externada na matéria, de que a poupança não é pré-condição para o crescimento sustentado da economia.

O professor da UnB voltou a lembrar a tese de Franco Modigliani, que rendeu ao teórico, ainda na década de 80, um Prêmio Nobel de Economia: “O próprio crescimento é capaz de gerar poupança, como ocorreu na China”, ratificou Oreiro.

O economista, no entanto, esclareceu tratar-se apenas de ironia o “elogio” que fizera à política cambial do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, a quem, parafraseando ao presidente dos EUA, Barack Obama, se referira como “o cara”.

“O presidente venezuelano aumentou gastos, está queimando recursos naturais da Venezuela para sustentar seu governo, em vez de industrializar o país”, destacou Oreiro.

Anúncios